Ao utilizar nossa página web você aceita a nossa política de cookies. Clique aqui para mais informação. Eu aceito

Quais vacinas são necessárias para viajar para a Europa?

Mapa da Europa

vacinas necessrias viajar Europa

Para entrar em um país estrangeiro o viajante deve cumprir uma série de requisitos, desde contar com a documentação adequada, ter meios de se manter, até cumprir a exigência de determinadas vacinas. Se você está planejando uma viagem para o Velho Continente, é interessante saber quais vacinas são necessárias para viajar para a Europa para checar se sua carteirinha está em dia.

O pedido de determinadas vacinas ao turista é feito porque os governos precisam controlar a chegada e disseminação de doenças em seus respectivos territórios, afinal, em fronteiras terrestres, aéreas e marítimas existe uma incidência maior de pessoas de diferentes partes do mundo, o que facilita o contágio. Além disso, problemas que já foram controlados em uma nação pode não ter proteção adequada em outra.

Os países da Europa, por exemplo, costumam apresentar a recomendação de algumas vacinas e a obrigatoriedade de outras. Cada país pode ter exigências específicas, mesmo que eles componham um mesmo bloco econômico. O site da Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) apresenta uma lista de vacinas por nação e é fundamental que o viajante tenha conhecimento da informação e tome as vacinas necessárias antes de embarcar.

A vacina obrigatória para viajar

De fato, existe somente uma vacina que é obrigatória para viajar para a Europa e para os demais continentes do mundo, a vacina da Febre Amarela. Em vários países a doença foi totalmente controlada, mas nações da América do Sul e Central (incluindo o Brasil) e regiões da África tem registros recentes da doença infecciosa.

A Febre Amarela é uma doença que ainda não tem cura, por isso a importância da vacina para o controle do contágio. Mesmo que você não esteja indo viajar para uma área de risco, em que casos foram registrados, a vacina é exigida para evitar que você seja o portador da doença para território internacional.

Todos os postos de saúde do Brasil estão habilitados a fornecer a vacina de Febre Amarela. Após a injeção, é necessário pedir o Certificado Internacional de Vacina ou Certificado de Profilaxia, documento que comprova que você está imunizado. Mesmo que você tenha tomado a vacina há anos ou meses, é possível solicitar o certificado pela Internet ou nos Centros de Orientação ao Viajante. O documento deverá ser levado na viagem para apresentar, quando solicitado, no momento da imigração.

As vacinas recomendadas para viajar para a Europa

Ainda que somente a vacina de Febre Amarela seja obrigatória, existem outras vacinas necessárias para viajar para a Europa, que são as recomendadas pelos governos. Cada país pode ter uma exigência diferente, mas existe um certo padrão. Novamente, o ideal é conferir no site da Anvisa qual é a solicitação de cada nação europeia.

Para quem vai viajar para o norte da Europa, em países como Dinamarca, Finlândia, Islândia, Noruega, entre outros, é recomendado ter vacina de hepatite B, tétano e difteria, além de encefalite transmitida por carrapatos.

Já para os viajantes que estão indo para o sul da Europa, seja o destino Portugal, Itália, Grécia ou outros da região, as vacinas recomendadas são de hepatite A e B, tétano e difteria, febre tifoide, poliomielite, infecções meningocócicas e encefalite transmitida por carrapatos.

Por toda a Europa também é interessante contar com a imunização da Tríplice Viral, que protege contra Sarampo, Caxumba e Rubéola e a antirrábica, para prevenir a raiva que pode ser transmitida pela mordida de cachorros, ratos e morcegos. Na verdade, o ideal é estar sempre com sua carteirinha de vacinação em dia, já que muitas dessas são proteções que tomamos ao longo da vida.

Como comprovar a vacinação e documentos para entrar na Europa

Depois de tomar a vacina de Febre Amarela e demais imunizações, é preciso providenciar o documento de comprovação. O Certificado Internacional de Vacina é um deles, e em muitos casos, é solicitado pela imigração. Quem não tiver esse comprovante corre o risco de ter a entrada negada.

Como as outras vacinas são recomendações, não há riscos de ter algum certificado requerido pela imigração do país. Mas vale levar a carteirinha nacional de vacinação como uma forma de precaução, seja para entrada no destino ou em casos de acidente, onde saber esse tipo de informação pode ser útil para a equipe de saúde.

Na fase de conferir documentos, não se esqueça de checar se o seu passaporte está em dia e se você já conta com o ETIAS, uma autorização eletrônica de viagem que passará a ser obrigatória para os brasileiros em breve. O ETIAS será obrigário para visitar qualquer um dos 26 países que compõem o Espaço Schengen em breve. Com vacinas em dia, documentos de imigração também, não há preocupações na hora de passar pela imigração e conhecer a Europa.