Ao utilizar nossa página web você aceita a nossa política de cookies. Clique aqui para mais informação. Eu aceito

A vacina contra a febre amarela é necessária para viajar para a Europa?

Mapa da Europa

vacina febre amarela viajar Europa

Os países da Europa estão entre os destinos preferidos dos brasileiros, seja para passar férias, estudar ou mesmo permanecer um período maior, a trabalho. As nações que compõem a União Europeia costumam exigir os mesmos requisitos para entrada em seu território, inclusive no quesito saúde. A grande dúvida dos turistas é: a vacina contra a febre amarela é necessária para viajar para a Europa?

A resposta para a questão depende do país que você está indo visitar. A febre amarela é uma doença infecciosa transmitida pela picada de um mosquito que já foi controlada no continente europeu. Por isso, a maioria dos países da Europa não tem como obrigatória a vacina da febre amarela – entretanto, existem exceções.

O viajante vai precisar tomar vacina de febre amarela para entrar nos países europeus Albânia e Malta, além das províncias da Espanha Granada e Montserrat. Antes de embarcar, o viajante pode consultar o Portal Consular do Brasil ou o site da ANVISA para verificar quais são os requisitos de saúde de qualquer país do mundo.

É preciso tomar alguma vacina para viajar?

Ainda que a vacina contra a febra amarela não seja obrigatória para entrar na Europa, alguns cuidados com a saúde são sempre bem-vindos na hora de viajar. É muito importante estar com a carteira de imunização atualizada, não só como medida protetiva do país que você vai visitar, mas pela sua própria segurança. Afinal, existem doenças contagiosas em qualquer lugar do mundo.

As principais vacinas que o viajante pode tomar são de tétano, hepatite (A e B), difteria, gripe e tríplice viral (todas aplicadas gratuitamente nos centros de imunização das cidades brasileiras). Por conta dos novos casos de febre amarela no Brasil, mesmo que o país de destino da Europa não exija essa vacina, é fundamental estar protegido da doença.

Quem já é vacinado contra a febre amarela pode emitir o Certificado Internacional de Vacinação ou Profilaxia (CIVP). Anteriormente, era necessário ir até uma unidade de imunização para conseguir esta guia, mas hoje é possível emitir via internet, inserindo os dados pessoais e informações sobre a vacina. Por mais que não seja obrigatório, é recomendado levar consigo esse documento em viagens internacionais.

Outros requisitos para entrar nos países da União Europeia

A apresentação do comprovante de vacina da febre amarela pode não ser obrigatória para a entrada nos países europeus, mas outros documentos são requisitados no momento da imigração. O primeiro deles é o passaporte, que precisa ter validade de 3 a 6 meses após a data de partida do Velho Continente.

Além disso, a partir de 2021 os brasileiros são obrigados a emitir a autorização de viagem ETIAS. Trata-se de um sistema eletrônico que autoriza ou não a entrada do viajante em um dos 26 países do Espaço Schengen. Tudo é feito de forma online, desde a solicitação até a emissão. O ETIAS foi criado para aumentar a segurança, ajudar contra o terrorismo e dar mais controle para os setores de imigração.

Os países da Europa também podem exigir a comprovação do local de hospedagem, seja a reserva do hotel ou a Carta Convite para aqueles que pretendem se hospedar na casa de um amigo ou familiar, bem como um valor mínimo em Euros por dia, para garantir a subsistência do visitante.

Seguir todos os requisitos é sempre importante para entrar em um país livre de complicações e preocupações. Depois de apresentar o ETIAS e os demais documentos é só aproveitar o período neste continente que é rico em história e repleto de cenários inesquecíveis – vai ser melhor ainda se você tiver a certeza de que está com a imunização de doenças em dia!