Ao utilizar nossa página web você aceita a nossa política de cookies. Clique aqui para mais informação. Eu aceito

Visite os microestados europeus com o ETIAS

Mapa da Europa

microestados europeus

Uma das maiores vantagens de fazer uma viagem para a Europa é a possibilidade de combinar diferentes países em um mesmo roteiro. O viajante pode tanto conhecer as grandes nações que são próximas uma das outras (como Alemanha e França), quanto aproveitar a oportunidade para visitar os microestados europeus.

Em todo o mundo, existem 24 microestados, sendo que seis deles estão na Europa. Por estarem em localizações estratégicas, são perfeitos para uma passagem rápida entre um país e outro. Tudo o que o viajante precisa para visitar um microestado é o passaporte e a autorização de viagem ETIAS.

Mas antes de falar destes detalhes, você sabe o que são os microestados e quais são suas características?

O que são os microestados europeus

Um microestado é um Estado independente que tem como aspectos principais o baixo índice populacional, um território bem pequeno (menos de 1.000km) e uma economia que gira, essencialmente, em torno do turismo. Na Europa, os microestados normalmente estão localizados em regiões montanhosas ou em ilhas.

São seis os microestados europeus: Malta, Andorra, Mônaco, Liechtenstein, San Marino e Vaticano. Destes, San Marino e Vaticano ficam no território italiano. Malta é uma pequena ilha banhada pelo mar mediterrâneo. Mônaco e Andorra estão nas fronteiras da França e Liechtenstein fica entre a Suíça e a Áustria.

Visitar um desses microestados é como fazer um mergulho em outros tempos e entrar em contato com civilizações diversas. Afinal, todos os Estados têm séculos de história para contar por meio de construções, ruas e monumentos.

O que é preciso para visitar um microestado europeu

Algo importante que você precisa saber sobre os microestados é que, devido à sua condição territorial, a maioria deles não conta com aeroporto próprio. De fato, de todos esses países, somente Malta recebe aviões, por se tratar de uma ilha.

Dessa forma, para visitar as outras cinco nações que não comportam uma estrutura para voos de companhias aéreas, você deve desembarcar em cidades de países maiores, que ficam próximas aos microestados. De lá, é só alugar um carro ou pegar outro tipo de condução para chegar nos povoados.

Para visitar um microestado da Europa, além de um bom planejamento para aproveitar ao máximo a experiência, você vai precisar do seu passaporte dentro da validade e a autorização de viagem ETIAS.

A exigência desse tipo de autorização é oficial somente em Malta, mas como nenhum outro microestado tem aeroporto próprio e o viajante obrigatoriamente terá que desembarcar em países próximos, há a necessidade de contar com o ETIAS para a entrada nas grandes nações.

O que é ETIAS e como solicitar o seu?

O ETIAS é uma autorização de viagem que países europeus vão exigir a partir de 2022. Esse “visto” é feito de forma eletrônica, ou seja, o viajante deve preencher um formulário online, com seus dados de viagem, para receber uma resposta positiva ou negativa quanto à sua entrada no país em questão.

Com o ETIAS, a União Europeia conseguirá ter mais controle sobre quem entra em qualquer dos países do grupo. O sistema foi criado para prevenir tanto a imigração ilegal quanto ataques terroristas. Para o viajante, esse documento também vai fazer com que o processo de entrada seja mais rápido, incluindo a movimentação entre os países do Espaço Schengen, sendo Mônaco, San Marino e Vaticano signatários deste espaço.

As vantagens de conhecer um microestado europeu

Por serem bem pequenos, os microestados são ótimos para encaixar em uma viagem mais longa pela Europa. Muitos deles permitem que os principais pontos turísticos sejam visitados em um só dia. A localização fronteiriça também colabora para aqueles que vão fazer uma viagem por meio terrestre. Chama a atenção ainda as possibilidades turísticas de cada país.

No Vaticano, por exemplo, o viajante pode conhecer algumas das principais igrejas do mundo, com obras de artistas reconhecidos mundialmente. San Marino, que também faz fronteira com a Itália, tem séculos de história, com um centro que está entre os Patrimônios da Humanidade da UNESCO.

Mônaco é outro desses lugares icônicos, com um litoral e um charme que entrou para o imaginário das pessoas. Quem viaja para Mônaco pode combinar uma visita à Andorra, que possui construções históricas em uma região montanhosa capaz de impressionar qualquer um. Clima parecido tem Liechtenstein, com suas construções medievais.

Por fim, a ilha de Malta é uma boa escolha por suas belezas naturais únicas. Além do litoral com águas de um azul impressionante, viajar para Malta permite conhecer pontos turísticos que foram fundamentais para a história da região.

Com tantas possibilidades, visitar um microestado pode deixar a sua viagem ainda melhor e mais rica culturalmente. Na hora de elaborar um roteiro, considere os microestados e lembre-se de levar todos os documentos necessários para fazer uma viagem inesquecível.