Como fazer para estudar na Europa

Estudar na Europa é o sonho de muitos brasileiros. Os benefícios são inúmeros, como a vivência em uma instituição fora do Brasil e o aprendizado de novas culturas. A melhora no currículo e a possibilidade de aprender outras línguas são só alguns dos pontos chaves que trazem muitos brasileiros para estudar na Europa anualmente.

Como tirar o visto de estudante para estudar na Europa

Para viagens de até 90 dias, você só precisa da autorização ETIAS. Esse período é ideal para cursos de curta duração como cursos de línguas. Assim, você pode usar sua permissão de viagem ETIAS, que permite a estadia por três meses (renováveis a cada seis meses) para aprender um idioma ou fazer outro tipo de curso rápido.

Para um curso de longa duração, como um mestrado ou doutorado, você precisará de um de um visto de estudante do país onde você for estudar. Cada país tem suas próprias regras, por isso é interessante se informar no Consulado ou Embaixada do país que você gostaria de estudar para entender os requisitos.

Em alguns países, como por exemplo na Holanda, os brasileiros precisam de um certificado de proficiência em inglês (TOEFL ou IELTS na maioria dos casos) e do diploma universitário traduzido para o inglês por um tradutor juramentado. Também há possibilidade de você se candidatar para uma bolsa de estudo. Nestes casos quase sempre é necessário possuir cartas de recomendação acadêmicas e escrever uma carta de motivação.

Na maioria dos países Europeus você consegue estudar de graça ou a preços bastante acessíveis. Muitas vezes, as universidades oferecem seus cursos em inglês, mesmo essa não sendo a língua oficial das nações, assim você não precisa limitar sua escolha de um país por falar uma língua já domine.

Uma vez você tenha sido aceito na universidade é possível entrar com o pedido de visto de estudante. Vale lembrar que o ano letivo na Europa começa sempre em Setembro. Então, organização para os estudos e para reunir os documentos necessários para a viagem é fundamental.